Rua Ezequiel Freire n° 35 - 3° andar, Conj. 33


Santana - São Paulo - SP


Cep: 02034-000


(11) 5051-7156

Empresários cobram nova matriz energética dos candidatos à presidência
Dom, 10 de Agosto de 2014 09:22

Empresários cobram nova matriz energética dos candidatos à presidênciaRepresentantes de 25 empresas multinacionais lançaram um documento com propostas de políticas públicas para promover o desenvolvimento sustentável no país e que será enviado para todos os candidatos à presidência da República.

Durante o encontro, realizado em São Paulo, um dos principais temas foi a matriz energética do Brasil, que hoje sofre uma crise devido a uma das maiores estiagens já ocorridas no país, o que afeta as hidrelétricas.

A opção foi apelar para o uso das usinas térmicas de carvão para não deixar o país ficar completamente no escuro, o que tem pressionado os reajustes nas tarifas de energia elétrica para o próximo ano.

"Tivemos um aumento de 75% na geração de energia a partir do carvão, que custa mais que o dobro do preço da energia eólica, por exemplo. Isso diminui de maneira significativa a competitividade da indústria brasileira", explicou o CEO da Renova Energia, Carlo Mathias Aloysius Becker Neto.

De acordo com ele, enquanto o custo para produzir energia eólica é de R$ 140 por megawatt, o custo das térmicas chega a R$ 800 para a msma quantidade de energia.

"O potencial eólico do Brasil poderia desenvolver a energia eólica mais barata do mundo", defende Becker.

Com 22 propostas divididas em cinco eixos temáticos (agregar valor à indústria, valorizar e proteger os recursos naturais, ampliar infraestrutura e serviços básicos, promover qualidade de vida nos centros urbanos e liderar a transição para um economia de baixo carbono), o documento deverá nortear a formação de um fórum para cobrar soluções do próximo governo.

"Isso aqui é apenas o pontapé inicial para um diálogo. O que é importante é que haja uma troca", ressaltou a presidente do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBEDS), Marina Grassi.

O Conselho foi o responsável por organizar as mais de 150 propostas e condensá-las em um documento de mais de 80 páginas que será endereçado a todos os presidenciáveis, bem como os candidatos à Câmara e ao Senado.

"Não adianta falar só com ministério do Meio Ambiente, temos que falar no alto escalão, porque a sustentabilidade está permeando todos os assuntos", defendeu Marina, que disse que o grupo evitou o que ela chama de "blá blá blá" para se ater a propostas concretas, como leis que estão para serem votadas no Congresso.

"Decidimos falar do que já está na mesa e apresentar alguma coisa que, se quiserem fazer diferente, tudo bem, mas estamos mostrando que a gente estruturou a nossa parte", ressaltou.

Fonte: Centro de Pesquisas Intercorp - EFE

 

INTERCORP Consultores Associados - Todos os direitos reservados

Os relatórios de análise têm como único propósito fornecer informações e não constitui ou deve ser interpretado como uma oferta ou solicitação de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro ou de participação em qualquer estratégia de negócios específica, qualquer que seja a jurisdição

Criação de Sites - ATESCO